Saúde reforça monitoramento do inseto barbeiro em Águas Claras. Moradores são orientados a levar besouros coletados  aos núcleos da Vigilância Ambiental. No DF, nunca houve registro de transmissão da doença de Chagas

Mesmo sem nunca ter havido transmissão da doença de Chagas no Distrito Federal, a Secretaria de Saúde monitora regularmente a população do inseto transmissor, o barbeiro. O controle é feito pela Diretoria de Vigilância Ambiental.

Diante do relato de moradores de Águas Claras sobre a presença do besouro na região, a pasta adotou medidas adicionais para reforçar esse monitoramento. O barbeiro é hospedeiro do Trypanosoma cruzi, protozoário causador do mal de Chagas

Caso alguém encontre o inseto, a pasta recomenda levá-lo a um dos quase 60 postos de informação de triatomíneos (PIT) instalados nas escolas e unidades de saúde rurais ou nos Núcleos Regionais de Vigilância Ambiental.

É preciso informar o local onde ele foi coletado, endereço residencial do informante e telefone de contato para receber o resultado, após análise em laboratório. O PIT em Águas Claras fica no Núcleo do Guará, telefone (61) 3381-0508.

Como medida de prevenção, os moradores podem colocar telas nas janelas

Embora Brasília não tenha registro de transmissão de Chagas, pessoas de várias partes vêm à capital do País em busca de tratamento, quando a doença se torna crônica. Nessa fase, surgem sintomas cardíacos, neurológicos e do sistema digestivo.

Os pacientes vêm de municípios em que a ocorrência foi muito forte nas décadas de 1970 a 1990, especialmente dos estados da Bahia, de Minas Gerais e de Goiás.

Como Águas Claras era região de mata fechada, é natural, segundo a pasta, que sejam encontrados barbeiros, que sempre viveram ali no seu ambiente natural.

Os moradores dos prédios que ficam perto do Parque Ecológico de Águas Claras, que preserva resquícios das matas existentes, podem, como medida de prevenção, colocar telas nas janelas.

A Administração Regional de Águas Claras prepara uma cartilha com fotos, detalhes e recomendações para a população.

O documento será distribuído na região e publicado no site da administração regional. Qualquer dúvida ou informação pode ser obtida pelo telefone (61) 3383-8903.

Anterior CACHAÇA DO NELSINHO
Próximo FLAMENGO PERDA PARA FRANCA